FAO expande seu campo de ação para combater fome na América Central

 Uma vendedora de hortaliças na Guatemala. (FOTO: Isabelle Schaefer/Banco Mundial)

Uma vendedora de hortaliças na Guatemala. (FOTO: Isabelle Schaefer/Banco Mundial)

Durante visita ao Panamá, o diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva, assinou quatro acordos de cooperação destinados a acelerar a erradicação da fome e estabelecer uma aliança com uma organização regional voltada para a redução da pobreza e desnutrição em torno da América Central. “O Panamá demonstrou compromisso ao mais alto nível para erradicar a fome e alcançar os objetivos da Agenda de Desenvolvimento Sustentável para 2030″, disse Graziano da Silva durante uma reunião com Juan Carlos Varela, Presidente da República do Panamá. O Director-Geral da FAO assinou acordos com os Ministérios de Desenvolvimento Agrícola e Pecuário, Meio Ambiente e Estrangeiros, bem como com o governo central. Os acordos visam abordar as principais causas de desnutrição no Panamá e compartilhar suas experiências com outros países em desenvolvimento. “O Panamá desenvolveu uma abordagem multi-setorial inovadora para reduzir a desnutrição através da implementação de políticas públicas que requerem coordenação entre vários ministérios”, disse Graziano da Silva.

O chefe de Estado do Panamá e o Diretor-Geral da FAO também concordaram em trabalhar em conjunto para promover o crescimento do produto entre as áreas indígenas do país. A FAO concordou com o Ministério da Agricultura e Pecuária para prestar assistência técnica para fortalecer a segurança alimentar e nutricional entre essas comunidades e melhorar sua produtividade e capacidade organizacional. As medidas planejadas impulsionarão os esforços para implementar o Plano de Desenvolvimento Integrado do Panamá para os Povos Indígenas, projetados para envolver e envolver líderes comunitários tradicionais. O Director-Geral da FAO também assinou uma nova aliança com o SISCA, a Secretaria de Integração da América Central. Esta parceria quinquenal reforçará o intercâmbio e o compartilhamento de informações técnicas, gestão do conhecimento e melhores práticas entre os países que fazem parte da Secretaria. Parte de uma cooperação Sul-Sul mais ampla em áreas estratégicas, visa reforçar as políticas públicas intersetoriais e a cooperação técnica para reduzir a fome, a desnutrição ea pobreza rural nos países centro-americanos.

Fonte: FAO
Mais informações: www.fao.org

Esta entrada foi postada em Brasil e Mundo, Notícias, Noticias Recentes e marcou , . Indicador do link permanente.

Comentários estão fechados.