“Controvérsias sobre comida orgânica”

Uma pesquisa da universidade de Stanford (EUA) publicada Journal Annals of Internal Medicine gera polêmica ao afirmar que comida orgânica não é mais nutritiva do que os demais alimentos. A Pesquisa verificou que frutas e legumes orgânicos e não-orgânicos possuem a mesma quantidade de vitaminas.

Este trabalhou realizou uma revisão sistemática de artigos publicados entre janeiro de 1966 e maio de 2009. Foram analisados 17 estudos que compararam pessoas que comeram alimentos orgânicos com outras que ingeriram não-orgânicos. Também foram investigados 223 trabalhos sobre os níveis de nutrientes, bactérias, fungos e agrotóxicos em vários alimentos, incluindo frutas, legumes, grãos, carnes, leite e ovos.

De acordo com os resultados do estudo, frutas e legumes contêm a mesma quantidade de vitaminas, e o leite não apresenta variação no teor de proteína e gordura, embora os alimentos orgânicos demonstraram conter 30% menos agrotóxicos. Algumas pesquisas apontaram que o leite orgânico apresentava mais ômega-3.

Também foi averiguado que os alimentos orgânicos apresentaram maior concentração de nitrogênio, o que de acordo com os pesquisadores se deve a diferenças no fertilizante usado e na técnica de colheita. Mas eles acreditam que isto não traz benefícios a saúde.

Segundo o Ministério da agricultura, para ser considerado orgânico o produto tem que ser produzido em um ambiente de produção orgânica, onde se utiliza como base do processo produtivo os princípios agroecológicos que contemplam o uso responsável do solo, da água, do ar e dos demais recursos naturais, respeitando as relações sociais e culturais. Não é permitido o uso de substâncias que coloquem em risco a saúde humana e o meio ambiente. Não são utilizados fertilizantes sintéticos solúveis, agrotóxicos e transgênicos.

A pesquisa recebeu muitas críticas de ativistas que realizam campanhas por uma agricultura sustentável e produtos orgânicos. Algumas avaliações negativas surgiram com o estudo, como: (1) nenhuma das pesquisas analisadas durou mais de dois anos, o que impossibilitaria conclusões de longo prazo; (2) evidências usadas na pesquisa variaram muito, devido às diferenças climáticas e de solo; (3) A associação do solo, uma entidade britânica, disse que por falhas estatísticas esta revisão não conseguiu verificar diferenças estatísticas muito significativas entre a maioria das diferenças nos níveis de nutrientes entre frutas e legumes orgânicos e não-orgânicos.

O estudo pode ser verificado no link abaixo:

http://annals.org/article.aspx?articleid=1355685

Aparentemente, este estudo de revisão apresenta falhas. Mas, mesmo que não haja uma diferença significativa entre o valor nutricional de alimentos orgânicos e não-orgânicos. O não uso de agrotóxicos já não representa uma qualidade ao alimento, a saúde do agricultor e ao ambiente?  Qual a opinião de vocês?

Fonte: Ann Intern Med

Esta entrada foi postada em Brasil e Mundo, Notícias. Indicador dolink permanente.

Deixe uma resposta